Cinema

“Como eu era antes você”, e o trailer detonador de corações.

Postado por em fevereiro 17, 2016

Vocês ja passaram pela situação, de ler um livro completamente aleatório, ter gostado pakas e depois reparar que vão lançar um filme sobre ele? Passei por isso.

Há um bom tempo atrás, resolvi ler “Como eu era antes de você “, o motivo: capa bonita. Li e amei no fundo da minha alma, e fiquei impressionada, porque sempre achei chato livros deste tipo. Então, se você esta esperando outra história melozinha de amor, espere sentado, por que é muito melhor do que isso.

Se só viu o trailer por ai, e não conhece a história:


“Louisa Clark acabou de ser despedida do seu confortável emprego de garçonete, e é obrigada a procurar outro por ai, até que é oferecido um de cuidadora. Ela consegue o emprego, e seu trabalho consiste em cuidar de um tetraplégico mal humorado chamado William. Irritado com a sua condição, ele trata mal as pessoas, as afastando. A todo momento, Louisa, uma garota bem humorada e com um guarda roupa fora do comum, faz de tudo para que ele ressucite a vontade de viver.”

O livro é lindo e nem um pouco clichê, e é facil se apaixonar e chorar pelos personagens. Quando eu vi o trailer pela primeira vez, fiquei feliz que tinha imaginado Louisa quase do mesmo modo, porém, o William esta 60x mas bonito do que imaginei! Eu fiquei babando por ele, e logo associei o ator bonitão com outro personagem de tirar o fôlego: Finnick- Jogos vorazes. Sim, é o mesmo ator. Estou super ansiosa para que a estreia chegue logo, porque esse filme promete ser lindo demais <3 e aliás, ainda da tempo de ler o livro! Prometo que não vão se arrepender.

!!!!!!!!!!!!!! Parte com spoiler para quem ja leu: !!!!!!!!!!!!!!


Chorei litros com este livro, e eu sinceramente conseguia sentir o amor dos dois nas minhas entranhas. Quando ela descobre que ele ja tinha tentado se matar e que pretendia morrer em uma clínica, eu praticamente fiquei com a boca aberta por um bom tempo, e precisei fechar um pouquinho o livro e absorver um pouco a informação.
E o final, meu coração gelou e meus olhos encheram de lágrimas, ja que ela queria ter uma relação com ele, mesmo com a sua condição, mas ele não aceitou, porque não queria uma vida daquelas para ela.
Eu não conseguiria suportar um negócio daquele, iria me agarrar nele e dizer: “- Se você se matar, eu me mato logo em seguida, e não estou brincando”.
Sério, que livro choroso <\3 Fim da sessão spoilers, e agora te dou dados que podem ser úteis:
-Estreia em: 16 de Junho de 2016
-Compre o físico por um preço camarada: Submarino
Com amor,M

Cinema

Filme da semana: The Purge

Postado por em janeiro 7, 2016

Ano novo, projetos novos e um deles é fazer um post de filme da semana pelo menos duas vezes por mês. Pra iniciar esse projetão lindo o primeiro filme é de que? Isso mesmo, quem me conhece e/ou acompanha o Lua sabe: TERROR. Quem me acompanha no twitter já sabe o que rola no filme porque nada melhor que essa rede social para extravasar as emoções, eu assisti o filme pela Netflix já que ela colocou nos recomendados -obrigada Net, te amo ♥-

O filme The Purge (no Brasil chama Uma noite de crime) foi lançado em 2013 e dirigido por James DeMonaco. Para os que não gostam de filmes de terror com demônios e assombrações pode ficar tranquilo porque esse é só com assassinatos.

The Purge é um filme que se passa nos EUA enquanto eles vivem o menor índice de criminalidade graças ao Expurgo. O Expurgo acontece uma vez por ano por 12 horas de um dia onde tudo é permitido, todo tipo de crime, vários tipos de armas, bombeiros e policiais não estarão em serviço, só a sorte que talvez possa estar a seu favor. São 12 horas para matar os sem teto e pobres que não podem se proteger e tudo isso para alavancar a economia do país. Não que os ricos estejam imunes, qualquer pessoa pode ser morta mas os ricos podem arcar com sistemas de segurança e estão sempre apoiando o Expurgo, mesmo que não saiam na rua e matem alguém. Eles se confinam em suas casas e esperam até o próximo dia.

James Sandis e sua família são os principais da história, ele é representante de um dos equipamentos de segurança mais procurados para os dias do Expurgo e se acha capaz de proteger sua família pelas 12 horas desse dia. Esse pensamento muda quando seu filho mais novo Charlie decide desativar o sistema de segurança e abrigar um sem teto ferido que estava sendo perseguido por quem executa o Expurgo.
Não demorou muito para acharem quem abrigou o sem teto e James ouve batidas muito inesperadas na sua porta, sim, era o grupo que perseguia o sem teto. Eles fizeram uma proposta: Ou ele entregava o sem teto ou eles entravam, matavam o sem teto e toda sua família ia junto, eles estimulam um tempo para que James decida o que ele quer fazer, mas adivinhem?! O tempo acaba.

O QUE EU ACHEI

No início do filme a gente acha que o Charlie é um esquisitão dos paranauês malucos que vai ajudar o pessoal a invadir a casa dele e matar toda sua família, mas quando a mão dele coça pra suspender o sistema e abrigar o sem teto isso muda imediatamente, sem contar que depois a criança ajuda o cara a se esconder dos próprios pais. Ele vai ficar sendo o meu personagem preferido e depois dele vem o líder do grupo dos Expurgadores(?). O final é legal, é algo que nem passa na mente de quem tá assistindo e não tem como falar dele sem dar spoiler então só vou falar que é legal mesmo.

No geral, para quem gosta de filmes desse tipo, terror, confinamento, suspense acho que é uma boa pra passar o tempo, não dá medo, não assusta porque não tem nada tão inesperado – talvez alguns sustinhos sim – porem considerei um filme leve, para um filme de assassinato não tem tanto sangue e não tem ninguém decepando a cabeça de outra pessoa, então é algo que você pode assistir até tarde da noite, sozinho e com a luz apagada mas é bom trancar a porta né. Eu sou muito fã de filmes de terror e mesmo tendo considerado esse leve não considerei ruim, como disse, é bom para passar o tempo, sair do tédio mas ele também não é óóóótimo. É bom pra gente muito “fraca” quando se trata desse gênero de filme, um pouco divertido também para aqueles que não são.

Em 2014 foi lançado o The Purge: Anarchy que parece ser melhor do que o primeiro e mês que vem eu venho falar dele aqui também porque já tenho o filme da terceira semana do mês e para os medrosos de plantão, fiquem tranquilos porque não é terror ♥.

Resenhas

Maze Runner: Correr ou morrer

Postado por em outubro 23, 2014

Eu conheci o livro só depois de ver o trailer, fiquei super ansiosa por ser o tipo de filme que eu gosto e comprei os livros até na mesma noite sem sequer ler a sinopse. Embora o filme tenha me decepcionado MUITO, eu estou apaixonada nessa saga e mergulhando de cabeça no segundo livro. Maze runner é a primeira saga no estilo de terror e mistério que leio e me interesso em ler todos os livros. Acredito eu que se tivesse visto o filme primeiro com certeza não passaria da centésima página, foi o que aconteceu em Divergente então não posso falar se o filme foi fiel ao livro ou não. Ler o livro primeiro deixa você bem mais animada com o filme por estar chegando a hora de você ver “todas” as cenas que projetou na sua cabeça, mas nunca pode se esperar muito como disse a Aninha na resenha dela. Considero o livro muito bem escrito, ele é mais imaginativo do que possa imaginar, você não consegue se cansar de ler, apesar dos mistérios e sustos no decorrer do desenvolvimento, a leitura é bem leve e gostosa de ser feita. Para quem se apegar como eu me apaguei, consegue ler no máximo em duas semanas.

Essa é minha segunda resenha e não sei se mando bem nisso hahah, espero que gostem!

CORRER_OU_MORRER resenhaNome: Maze Runner: Correr ou morrer
Autor: James Dashner
Editora: Vergara & Riba
Páginas: 426

Sinopse: Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam ‘A Clareira’, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar – chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr… correr muito.

Resenha
Thomas acorda dentro de uma caixa que o leva a um local cercado por muros enormes que formam um labitinto aparentemente impossível de se escapar, a clareira. Lá vivem os clareanos, meninos de idades variadas que foram enviados da mesma forma que Thomas, sempre um ao mês. A clareira tinha suas atividades cotidianas, uma vez por semana recebiam suprimentos e roupas pela caixa, muitas coisas produziam sozinhos. Cada atividade tinha o seu encarregado e seus trabalhadores, Alby e Newt eram líderes de tudo.
Uma das principais regras da clareira era manter a ordem, com isso todos passavam por testes para saber a qual área pertenceriam, entre essas áreas estavam os Retalhadores, eles cuidavam de tudo em relação aos animais, os Desbastadores que trabalhavam pesado com as plantas, os Corredores que tinham a tarefa de mapear o labirinto procurando uma saída, os Socorristas, entre outros… Para não desrespeitarem essa regra, tudo fora exatamente igual na clareira por dois anos. O trabalho se iniciava logo após o nascer do sol e as atividades finalizavam ao fechar das portas do labirinto.

Maze runner resenha

Desde que chegou e viu um corredor, Thomas sabia que precisava ser um deles, que nasceu para isso, porem esse era o cargo mais difícil de conseguir. A Regra Número Um dizia que ninguém além dos corredores poderiam entrar no labirinto e esse era o maior desejo de Thomas. Para ser um, teria que se destacar em todos os outros cargos.
Nada nunca havia mudado a vida na clareira a não ser uma sirene avisando que a caixa voltava a subir 1 dia após a chegada do novato. Para a surpresa de todos aqueles garotos órfãos, dessa vez era uma garota. Uma garota enviada para desencadear o término, a última enviada por quem quer que seja que os tenha coloca na clareira.

Thomas sentia que a conhecia de algum lugar, estava seguro de si que enfrentaria o labirinto e seus monstros chamados Verdugos, que poderiam vencê-los e levar todos para a casa. Ele descobriria de onde vêm os besouros mecânicos espiões dos criadores ou de onde conhecia Teresa e o por quê de saber seu nome?

“CATÁSTROFE E RUÍNA UNIVERSAL: EXPERIMENTO LETAL”

Maze runner resenha

Filme x Livro
Acho que nunca vou viver uma desilusão amorosa tão grande quanto a decepção que tive vendo esse filme. Os personagens se encaixaram perfeitamente, Thomas Brodie-Sangster (lindíssimo) como Newt, Will Poulter como Gally e Dylan O’Brien como Thomas foram ótimos, mas eles mudaram muitas coisas de segundo em segundo no longa, coisas simples como os códigos do labirinto serem trocados de palavras por números, o jeito como acham uma pista, o que fazem no setor 7, quem leu e viu o filme ou apenas leu, sabe do que estou falando. Acho que a saga Maze Runner tem muito para a versão filmada não dar muito certo.

Maze Runner resenha

Maze Runner resenha