Pessoal | Viagem

A experiência de conhecer minha ídola.

Postado por em maio 7, 2018

Maioria das pessoas é fã de algo ou alguém, algum filme, série, banda, atores e etc. Maioria das pessoas tem um ídolo ou ídola. Once upon a time era minha série favorita há um tempo atrás, antes de a história se perder completamente e dar ênfase em coisas desnecessárias, eu adorava a vibe até a terceira temporada e acho que a série deveria ter acabado ali, mas não acabou e fazer o quê né?? Continuei e ainda continuo assistindo porque apesar de tudo, Once Upon a Time mudou a minha vida (e isso é assunto para um post chamado “Como OUAT mudou a minha vida” kkkk), o post de hoje é para falar de Lana Parrilla!

A melhor coisa que OUAT me apresentou foram Lana Parrilla (Regina Mills/Rainha Má) e Jennifer Morrison (Emma Swan), e eu fui para o Canadá conhecê-las. A Jennifer infelizmente cancelou a convenção um tempinho antes, chorei muito mas passo bem, e conhecer a Lana foi simplesmente um dos melhores domingos da minha vida.


Essas são minhas fotos favoritas que eu tirei dela durante o painel de perguntas e respostas, vê se não é um anjinho?? Passei um bom tempo acompanhando as convenções por twitter, e enquanto fotógrafa eu tinha um super desejo de tirar foto dos painéis dos convidados e principalmente da Lana. Então essa foi uma das coisas que mais gostei de fazer durante o final de semana inteiro além de poder conversar um pouquinho com eles, pegar os autógrafos e tirar fotos.

Hoje, 7 de maio de 2018, faz um ano de um dos domingos mais mágicos. Enquanto eu acompanhava as convenções pelo twitter, eu fazia parte do time que sofria tweetando que nunca iria conhecer a Lana até o dia em que passei a acreditar que isso poderia acontecer. Foi um ano de planejamento para que eu pudesse ir a convenção e eu fui, cheguei no Canadá uma semana antes e fiquei estudando, passeando e conhecendo Toronto, mas a ficha de que eu iria conhecer Lana Parrilla só caiu quando eu vi ela pela primeira vez.

Nesse dia, 7 de maio de 2017, tudo parecia estar dando errado na minha vida, estava chovendo de manhã, eu não conseguiria chegar a tempo de ônibus, pedi um Uber compartilhado (??) e o motorista super demorou a encontrar as pessoas que ele pegaria depois de mim e eu já estava bem atrasada. A primeira atividade que eu teria com a Lana era uma foto duo, dela com o Jared Gilmore (Henry Mills), e ia de nove e pouquinho há 09:50, eu desci do carro as 09:45 e custei a achar a entrada do hotel. A essa altura eu já tinha me conformado em perder essa foto, mas vi um grupinho de pessoas com a blusa da série e perguntei se elas estavam indo para lá, elas disseram que sim e eu as segui. Para a minha felicidade a fila estava enorme e deu muito tempo de eu tirar a foto ainda. Eu detesto ela e acho a pior de todas, mas valeu o momento porque foi a primeira vez que eu vi a Lana ali.

A fila estava fora da sala onde as fotos estavam sendo tiradas, e quando eu dei o primeiro passo para dentro da sala foi inacreditável, porque ela estava ali a passinhos de mim, abraçando, sorrindo e conversando com as pessoas. Meus olhos lacrimejaram na hora, foi difícil segurar o choro da emoção de estar vendo ela depois de tanto tempo acompanhando e imaginando como seria. Quando dei o primeiro passo para dentro da sala e a vi eu voltei automaticamente, porque não parecia real e se fosse sonho eu não queria acordar.

Durante a foto ela foi um anjo, eu estava completamente travada, é algo que não da pra descrever muito bem… Então eu me coloquei entre os dois sem dizer nada e olhei para a câmera, mas o fotógrafo não tirou a foto então eu olhei para ela e ela estava me encarando sorrindo, perguntou se a pose estava boa, eu assenti e a foto foi tirada. {Eu escaneei a foto pelo telefone e perdeu bastaaaaaante a qualidade, tentei de tudo pra por ela colorida mas ela estava ficando hiper amarelada, então ainda tá com a qualidade super baixa, mas em preto e branco. E ignorem minha feiura, não estou orgulhosa de nenhuma dessas fotos. Grata.}

Como a Jennifer cancelou a convenção, eu poderia pegar meu dinheiro de volta ou trocar por outras fotos, mas como ninguém lá me interessava muito, acabei trocando por mais fotos com a Lana. Estar abraçado com alguém que você admira muito não tem preço gente, vale a pena cada centavo gasto desde que você queira aquilo, desde que você realmente goste da pessoa e seja significante para você estar ali. A Lana me inspira de diversas formas, me ajudou de infinitas formas diferentes em pontos diferentes da minha vida e quem é fã de alguém conhece o sentimento, por isso esse post é mais um post de fã para fã, um post para quem entende.

Na nossa segunda leva de fotos, onde tirei três fotos com ela, eu já estava muito mais calma e não travei. Estava dançando na sala enquanto a fila andava e cantando “Sugar, Sugar” de The Archies, que era a música tocando na hora. Na primeira foto eu a abracei, na segunda fizemos aquilo com as mãos e na terceira eu perguntei se ela poderia segurar minhas mãos e olhar nos meus olhos, ela disse “claro” e ela mesmo ajeitou nós duas para a foto. O fotógrafo disse que não conseguia ver meu rosto por causa da “franja” e ela tentou arrumar meu cabelo após dizer “deixa comigo”, mas não deu certo, então ela inverteu nossas posições.

Depois disso tive a foto duo da Lana com a Rebecca. A Bex também um amorzinho, mas vou falar mais dela no post que vai ser um geral da convenção inteira e de como funciona(va). Como a série foi cancelada agora, a Creation anunciou uma tour de despedida esse ano mesmo, então acredito que ano que vem já não terão mais convenções organizadas por ela… Essa foi a última vez que eu abracei a Lana aquele dia, eu pedi pra ela uma “evil face” e pra Rebecca uma “funny face”, me coloquei entre as duas, e  juntando o tempo de todas as fotos eu posso dizer que foram os minutinhos mais maravilhosos que eu poderia pedir.

Depois veio a painel das duas separadamente, primeiro o da Bex e depois o da Lana. É aqui que eu digo para nunca desistirem dos seus sonhos e encorajo vocês a correrem atrás de realizá-los. Quantos painéis eu acompanhei sentadinha de frente para o meu computador ou celular, ansiosa esperando alguém tweetar as perguntas e respostas da Lana imaginando que eu nunca estaria lá??? A parte mais surreal de toda essa experiência não foram as fotos e o autógrafo, foi ficar sentada acompanhando ao vivo os fãs perguntarem e ela responder, poder rir em tempo real das coisas engraçadas que ela dizia e me se sentir inspirada ouvindo palavras que causavam tal sentimento. Sentir que ela falava aquilo para mim, pessoalmente.

Escrever aqui como foi conhecer a Lana é praticamente impossível, foi um misto de sentimentos inexplicáveis, foi a realização de um sonho que me deixa sem palavras para descrever o quão mágico, lindo e satisfatório ele foi. No nosso autógrafo eu entreguei um presente para ela, e ela me deu um sorriso tão grande e iluminado que é uma das imagens mais nítidas na minha cabeça desse dia tão gratificante.

Eu faria tudo de novo, absolutamente cada passo que eu dei para chegar até esse dia eu repetiria sem reclamar. Talvez eu escolhesse trocar de convenção para uma que a Jennifer não cancelou, já que eu decidi ir nessa porque eu conheceria as duas, mas mesmo que ela cancelasse todas eu ainda iria conhecer a Lana e não me arrependeria disso. Eu não me arrependi de ter feito certos esforços e desistido de algumas coisas para essa viagem, como eu já disse ali em cima e repito: valeu cada centavo gasto e sempre vai valer se a pessoa for significante para você como a Lana é pra mim. Hoje eu daria muita coisa para voltar há exatamente um ano atrás e desfrutar dessa experiência toda de novo.

E para os Evil Regals de plantão: NÃO DESISTAM. Sério! Eu vejo vocês no twitter o tempo todo reclamando que nunca conhecerão ela, eu dizia a mesma coisa, eu a vi há um ano atrás e se tudo der certo, daqui um tempinho estarei vendo de novo. Há um tempinho atrás aqui no blog, eu fiz uma wishlist dos sonhos, um dos itens era conhecer Lana Parrilla e bem, olha só o post que vocês estão lendo… Ela já prometeu que continuará sempre fazendo convenções, então não é impossível. Pode ser difícil sim, claro. “But you’re where you need to be. Just take a deep breath.”

Fotografia | Viagem

Toronto de bolso

Postado por em novembro 2, 2017

Depois do Nova York de bolso, eu pensei que demoraria muito tempo para rolar um outro post com um nome parecido aqui. E bom, “demorou” né? Demorou dois anos para que eu pudesse viajar e demorou muitos meses para o post finalmente sair, já que eu cheguei de viagem em Maio e estamos em Outubro. Poreeem, finalmente cá estamos e dessa vez com um Toronto de bolso; Outro país, outra cidade, outras fotos, novas histórias.

Esse post é o que inicia todos os posts pós viagem aqui no blog. O post “Sozinha no Canadá: Medos e expectativas” foi o único pré viagem e a resposta dele ainda virá, só não sei se em forma de um post único com um texto sobre como foi embarcar e viver isso tudo sozinha, ou se ao longo dos futuros posts sobre Toronto que virão. Não falarei muito aqui sobre as coisas que tiverem um post único com as fotos tiradas com a câmera, até para não dar muito spoiler e não acabar com a magia deles.

Partiu conhecer um pouquinho dessa cidade linda do Canadá pela lente do meu celular? Só bora!


Confesso que não me lembro se a primeira foto é da conexão que fiz em NY, mas acredito muito que seja. A segunda já é de Toronto, e a terceira é do lado de fora do Toronto Pearson International Airport. Fazer uma conexão em NY foi uma das melhores partes da viagem, embora a experiência no aeroporto não tenha sido calma e das melhores, passar por lá, ver os taxis amarelos e o Empire State bem de cima ajudaram a matar uma saudade bem grande que eu estava (e já estou de novo) da selva de concreto.

Digam se não é um dos conjuntinhos mais fofo que vocês já viram?! A casa da minha host family é a da esquerda e lá dentro é um aconchego enorme, não é grande mas também não é pequena, acho um espaço ideal, e além dos dois andares, tinha um no subsolo?? Mas olhem só esse café da manhã e essa rua!!! Sobre o café eu vou deixar para falar no próximo post, que será sobre a casa e a família.

Vou confessar que quando mandaram e-mail dizendo que minha host family iria mudar porque a outra já receberia um brasileiro e eu procurei o endereço no google, dei alguns pulinhos de emoção. A host family antiga não tinha o inglês como língua mãe e ficava muito longe da escola. Essa na qual fiquei, ficava pertinho do ponto de ônibus e maioria das vezes eu fui pra estação de metrô andando, ficava perto também de um tanto de loja como Walmart, Best Buy (fui buscar meu notebook andando) entre outras.


Choveu bastante lá e eu não tinha sombrinha, por que sim, eu falei no post que citei ali em cima que um dos meus maiores medos era que perdessem minhas malas, e o que rolou? Isso mesmo, perderam uma delas! Mas “felizmente” a mala não tinha muita coisa e nada de fato importante, talvez até por isso tenham “acidentalmente” deixado-a para trás, mas vida que segue, eles ganharam uma mala de presente.

Minha host mother me avisou mesmo que provavelmente chovesse bastante, eu contei a história da mala e depois da primeira chuva (que obviamente me molhei toda por estar indo embora da estação de metrô a pé), minha host grandmother me comprou um guarda-chuva. O que não adiantou muito porque no outro dia eu esqueci e tive que comprar um na Dolarama, ele não servia pra praticamente nada, mas ajudou. Depois disso aprendi a andar de ônibus. A primeira foto é onde esperamos o ônibus na estação Keele e as outras duas são algum ponto dessa rua.

Também me apaixonei pelo metrô, fiquei confusa apenas no primeiro dia porque da estação Keele eu ia pra St. George e de lá eu tinha que trocar de linha para ir até a St. Patrick, que era a da escola. Felizmente a timidez não me venceu, e com o mapinha – que minha host mother fez para mim – em mãos, eu perguntei a alguns funcionários e consegui chegar ao meu destino. Vou ver se consigo trazer mais sobre andar de metrô e ônibus no post sobre o caminho que eu fazia todos os dias de casa até a estação Keele, porque aqui já está bem grandinho.

A primeira imagem foi uma imagem meio aleatória só para preencher o espacinho já que eu não tenho outra relacionada a escola. Essa frase fica em algum muro na Keele Street, e no momento que vi tive que tirar a foto. Eu realmente não consigo descrever o que senti, o que me causou ver isso escrito aí, mas foi algo muito, muito bom. Como disse que não consigo descrever, pularei para a escola.

Eu estudei só uma semaninha na ILSC Toronto e quero MUITO voltar, tanto para Toronto quanto para a escola. Eu nunca estudei em nenhuma outra para fazer uma comparação, mas posso dizer gostei muito da estrutura de lá, das pessoas com quem conversei, as professoras que tive eram ótimas, a escola ficava muito bem localizada e etc. Uma única coisinha que não gostei muito foi o banheiro, era muito apertado e tinham quatro cabines mais apertadas ainda. Dentro do banheiro tinha sempre uma fila enorme e as pessoas tinham que tomar muito cuidado ao abrirem a porta por ter riscos de acertar alguém. Mas eu acho isso algo um pouco relevante, de uma semana estudando lá eu fui no banheiro apenas 2 vezes, então…


Dois lugarzinhos verdes que você precisa muito conhecer. Teremos um post especial para o Alan Garden’s (três primeiras fotos) e um para o High Park (três fotos de baixo) também, então realmente o que mais posso adiantar aqui é que são dois lugares que valem muito a pena estarem na sua listinha. O Alan Garden’s como o nome já diz, é um jardim, tipo uma estufa, repleeeeeto de flores, cactos e mais coisinhas lindas e fofas para se tirar foto. O High Park tem as famosas cerejeiras, é enorme, tem um lago e um zoológico. Para quem gosta de natureza os dois lugares são ótimas pedidas.


Também teremos posts especiais para a CN Tower e para as ruas ou os prédios de Toronto, talvez possa ser até o mesmo post porque as fotos desses prédios foram tiradas no caminho para a torre. Depois saberei se as fotos dão dois posts ou um só, espero muito que dê dois hahah. Para quem não sabe, a CN Tower é uma torre turística e de comunicações, a parte de comunicação eu tento trazer mais no próximo post, mas quanto ao turismo, ela conta com dois níveis para você observar Toronto, em um deles tem algumas partes que o chão é de vidro (assim como o elevador) e você pode ver tudinho lá em baixo. Muitas pessoas deitavam no chão e tiravam selfies, eu tirei uma foto em pé mesmo, dos meus pés. Mas confesso que só porque as deitadas não deram certo…

Não sei se deu para perceber, mas a ordem desse post é mais ou menos de acordo com a minha viagem; Aeroporto, casa, primeiro dia no metrô, andando pelas ruas, escola, pontos turísticos e por fim o verdadeiro motivo da minha ida ao Canadá: A “Creation Entertainment’s Once Upon a Time Official Convention”, que tecnicamente foi a última coisa que fiz lá antes de voltar para casa.

Sim, eu fui ao Canadá conhecer minha ídola, vulgo o amor da minha vida Lana Maria Parrilla, mais conhecida como Regina Mills ou Rainha Má da Branca de Neve na série citada acima. Já falei um pouquinho sobre isso num post do Instagram e tem um post bastante especial guardadinho nos rascunhos que por enquanto se chama “A experiência de conhecer minha ídola” e lá contarei detalhadamente sobre tal experiência.

A “Creation Entertainment’s Once Upon a Time Official Convention” é uma convenção organizada pela Creation, geralmente ocorrem apenas nos EUA e no Canadá e eles fazem de diversas séries diferentes. Não indico e empresa, mas indico o momento que você vive ao lado de quem te inspira ou daquela pessoa que você sonha em conhecer. Como disse no Instagram um tempo atrás, muita gente me perguntava se eu ia no Canadá só para isso, se eu tinha coragem de gastar dinheiro com isso etc e tal, a resposta antes de eu ir era sim, depois que cheguei continuou sendo sim, e hoje, muito tempo depois quando o arrependimento talvez já pudesse ter batido, ainda é sim. O motivo? Veremos no último post nessa saga da viagem.

Outros

O Lua de Outubro voltou!

Postado por em outubro 14, 2017

Mesmo que não tenha ido a lugar nenhum, necessariamente…

O Lua está paradinho há aproximadamente um ano, mas quando eu digo que ele não foi a lugar nenhum, é que durante esse tempo, um ou dois posts foram publicados entre as variações da hospedagem do blog e do domínio.

Por conta de um vírus muito chato, frequentemente eu não conseguia entrar aqui, a hospedagem “arrumava” o problema mas o vírus/hacker voltava sempre, e só eu poderia arrumar isso sem perder nada. Por um bom tempo eu deixei isso de lado, agora eu finalmente consegui e troquei a senha de tudo relacionado ao blog, deixei ele em fase de teste há algum tempinho (enquanto eu arrumava o layout e tal) para ver se voltaria, mas parece que agora está tudo certo.

Para celebrar essa volta do Lua, reparem que estamos de roupinha nova. O layout é uma coisa bem simples, e pelas cores dele eu tento trazer um pouquinho de mim já que são minhas cores favoritas. Também espero que ele esteja responsivo em vossos celulares, tablets e notebooks, sei que o primeiro post em destaque ali em cima é a única coisa que não está por enquanto.

Hoje, 14/10, o Lua faz 4 aninhos e achei o dia perfeito para voltar. Não parece que faz tanto tempo assim, lembro perfeitamente do dia que saí atrás de alguma velinha de número 2 e um bolo para fazer um post especial de dois anos, e hoje já temos o dobro disso. Foram -quase- 3 anos maravilhosos compartilhando várias coisas legais com vocês, e hoje, quando completamos quatro, eu volto com o intuito de compartilhar muito mais.

Espero que ainda tenha alguém que eu conheça por aí e espero conhecer muito mais pessoas com essa nova caminhada que vamos começar a partir de hoje. As novidades que virão, veremos quando elas surgirem, não prometerei nada por agora hahah. Mas me contem, o que acharam do layout mesmo estando simples? O que estão achando da blogosfera, o que falta? O que já cansou?? Vamos conversar!

Caso queiram me acompanhar no Instagram para saberem o que ando aprontando para postar aqui, é só procurar por @luadeout e seguir ♥